21 de fevereiro de 2024 11:22

Black Friday 2023: confira 6 dicas para se proteger em compras online

Compartilhe este conteúdo...

No dia 24 de novembro acontecerá a Black Friday de 2023 – uma das datas mais aguardadas, tanto pelos comerciantes, quanto pelos clientes. Segundo uma pesquisa do Google, este ano promete ser mais otimista para as compras. Os dados apontam que as buscas pelo evento cresceram 114% em relação ao mesmo período em 2022.

Para Sylvia Bellio, especialista em cibersegurança, CEO e Co-fundadora da itl.tech — empresa eleita por quatro anos consecutivos o Maior Canal de Vendas Dell Technologies — é preciso redobrar os cuidados com a segurança neste período de compras. “A alta demanda também serve como um atrativo para os golpistas”, alerta.

No Brasil, a data recebeu o apelido carinhoso de “Black Fraude”, devido ao aumento de casos de golpes na época do evento comercial. No entanto, a especialista ressalta que é possível aproveitar as ofertas tomando as medidas de segurança necessárias.

Seguindo os protocolos básicos de segurança, já é possível evitar diversos tipos de golpes e outros ataques cibernéticos”, explica Sylvia. “Comece com o básico como, por exemplo, manter senhas fortes e únicas nos sites de compras e instalar antivírus nos seus dispositivos”, destaca a especialista.

Confira as seis dicas que Sylvia Bellio separou para se proteger durante as compras on-line da Black Friday de 2023, a seguir;

  1. Tome cuidado ao fazer pagamentos através do PIX ou por meio de boletos bancários: sabemos que com a chegada do pix ficou muito mais fácil realizar uma transação e enviar dinheiro para outras pessoas, mas é preciso ficar atento com a chave de pagamento. “É importante confirmar se a chave está correta, pois uma vez que o dinheiro sai da conta, não há como pegar de volta”, comenta. Segundo Sylvia, para quem prefere utilizar boletos bancários, é fundamental conferir alguns dados como: nome da instituição, nome da empresa, data e, principalmente, valor a ser pago e código de barras.
  1. Utilize cartão de crédito virtual: para proteger seus dados de vazamentos ou de ações maliciosas em lojas virtuais, utilize sempre o cartão de crédito virtual e, de preferência, os que expiram depois de um determinado tempo. “Ao utilizar a versão virtual, o cliente se protege de fraudes e previne maiores dores de cabeça, como o cancelamento do cartão físico e ação de criminosos”, explica.
  1. Não deixe seus dados pessoais salvos e não passe informações sobre eles por telefone: apesar da praticidade, salvar seus dados pessoais em sites de compras pode representar um risco para a sua segurança. “Em casos de vazamentos, essas informações estarão disponíveis para os golpistas utilizarem, portanto, sempre desabilite as opções de guardar os dados pessoais”, alerta a especialista.

Além disso, muitos golpes são aplicados diretamente por telefone. “Os bancos nunca entram em contato para solicitar dados ou confirmar solicitações, então, jamais ofereça seus dados pessoais”.

  1. Evite Wi-Fi públicos: comuns em shoppings, aeroportos e restaurantes, as redes Wi-Fi públicas podem ser a porta de entrada para agentes maliciosos. Com o acesso livre, geralmente essas redes são alvos de golpistas, principalmente, pela facilidade de obter dados. “Redes de Wi-Fi públicas não devem ser utilizadas em nenhuma ocasião, especialmente para realizar transações bancárias”, explica Sylvia.
  1. Desconfie de preços muito baixos e propagandas enganosas: os golpistas querem chamar a atenção dos consumidores e, por isso, é preciso estar atento a movimentos muito destoantes do restante do mercado, como propagandas exuberantes de certos produtos ou serviços com preços mirabolantes. “Apesar do período de descontos, sempre duvide de valores muito abaixo da média e faça buscas do produto desejado em outras lojas antes de realizar a compra”, diz.
  1. Tenha cuidado com links estranhos e verifique se as lojas são seguras: por último, mas não menos importante, a especialista cita alguns detalhes que devem ser avaliados antes de realizar uma compra online. “É importante prestar muita atenção na hora de qualquer link, principalmente se ele for suspeito. Sabemos que um site é seguro quando ele apresenta a certificação digital (SSL) no início da barra no navegador, representado pelo ícone de um cadeado”, ressalta a especialista.

Esse protocolo adiciona uma camada extra de segurança ao site, dificultando que os dados pessoais dos clientes, por exemplo, sejam acessados por cibercriminosos”, destaca.

Outra medida simples, mas muito eficaz, é avaliar a reputação da loja virtual em plataformas de atendimento ao consumidor, como o ReclameAqui! e o Consumidor.gov.br. “Verifique os links, e veja se eles possuem algum caractere diferente, se apresenta o certificado https e se possui boas avaliações”, finaliza Sylvia.

Compartilhe este conteúdo...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

categorias

ÚLTIMAS NOTÍCIAS