21 de maio de 2024 06:51

Vereadores de Bertioga ignoram população e faltam de novo à sessão

Ticianelli, Macário, Matheus, Ney, Taciano, Guarujá, Eduardo, Renata e Elisângela são vereadores de Bertioga que ultimamente faltam às sessões Foto: Divulgação

Compartilhe este conteúdo...

Parece que faltar às sessões ordinárias, nos dias de terças-feiras, às 18 horas, vem se tornando rotina entre os vereadores de Bertioga. Nesta semana (2), os parlamentares não compareceram ao plenário de novo para os trabalhos legislativos, em dia cheio de populares que foram para acompanhar os serviços, que infelizmente não aconteceu em razão da ausência da maioria deles, não permitindo que houvesse quórum parlamentar.

Quanto ganha?
Nos quatro anos de mandato, caso o vereador não falte, ele receberá R$ 353.750,40, valor anual de R$ 88.437,60, cujo salário é de R$ 7.369,80.

Ilha da Fantasia
São poucas as cidades no Estado de São Paulo que ocorre isso: comissionados ganharem mais que os vereadores. A reportagem fez levantamento a respeito dessa situação, um tanto quanto inusitada e se deparou com a seguinte surpresa. Um secretário geral que atua na Câmara de Bertioga recebe R$ 18.017,51, até aí tudo bem, na maioria dos legislativos é assim, agora, assessores, subordinados aos respectivos vereadores ganharem mais que o parlamentar?

Pelo menos é o que consta no site (Portal de Transparência da Casa).

O assessor especial da presidência, por exemplo, recebe R$ 14.691,34, já o chefe de gabinete (cada vereador tem um) ganha R$ 12.150,79, o assessor parlamentar, assessor da mesa diretora e assessor de relações institucionais, cada parlamentar também tem um trabalhando em seu gabinete ganhando R$ 10.129,40 cada.

A reportagem ouviu algumas pessoas sobre esses valores considerados altíssimos para o padrão de vida que vivem os bertioguenses, justamente dentro de um parlamento que demonstra fragilidade nas sessões ordinárias, com várias lacunas ao longo dos meses.

Surpreso ficou o mecânico Sergio dos Santos, de (44), residente no Indaiá. “Já fui várias vezes ver as sessões, e por falta de sorte, das três vezes que fui, duas não foram realizadas”.
A diarista Ana Aparecida (36), moradora no Vicente de Carvalho, quando soube dos salários ficou de boca aberta. “Eu preciso trabalhar muito para chegar nesse valor, parece que estão na Ilha da Fantasia. Não é justo isso”.

Outro que também se revoltou quando soube dos salários foi o comerciante Emerson da Conceição, (49), residente no bairro Maitinga. “Sempre quando estou na cidade, vou até lá ver os trabalhos. Infelizmente, os valores não são compatíveis com a produção deles, isso para mim é vergonhoso”.

Após a decepção de mais um dia sem a sessão ordinária, várias pessoas do lado de fora protestaram contra a falta dos vereadores e prometeram acionar o Ministério Público (MP), com base em fatos que estão ocorrendo dentro do Poder Legislativo para que providências sejam tomadas urgentemente.

O Jornal Impresso Brasil (JIB) tentou contato com o presidente da Casa de Leis, vereador Antônio Carlos Ticianelli (PSDB), para saber os motivos de tantas faltas às sessões ordinárias, se haverá descontos nos subsídios dos vereadores e também sobre os valores salariais dos assessores, acima até comparado aos deles, no entanto, não foi possível até o fechamento desta edição. A reportagem se coloca à disposição, caso queira se posicionar e também esclarecer os fatos sobre o conteúdo publicado.

Compartilhe este conteúdo...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

categorias

ÚLTIMAS NOTÍCIAS