9 de agosto de 2019

Greve no setor de ambulância prejudica quem precisa do serviço

A situação da saúde em Ferraz de Vasconcelos que é crítica, ficou ainda mais  agravada com a recente greve dos motoristas das ambulâncias, deflagrada pelos profissionais devido à  saída do funcionário Raul Nunes, que pediu demissão de seu setor.
Embora a Prefeitura Municipal tenha se recusado a responder as oito indagações formuladas sobre o caso pela reportagem do Jornal Impresso Brasil (JIB), o serviço, depois de ter prejudicado os cidadãos que precisavam desse auxílio, voltou ao normal agora. Mas a situação ficou preocupante e os pacientes que fazem o desgastante tratamento de hemodiálise também foram afetados com essa paralisação que causou problemas para eles, já que o tratamento não pode ser interrompido, porque agravaria a situação dos assistidos, que ao sair das sessões ficam debilitados.
A hemodiálise é um procedimento através do qual uma máquina limpa e filtra o sangue, ou seja, faz a parte do trabalho que o rim doente não pode fazer. O procedimento libera o corpo dos resíduos prejudiciais à saúde, como o excesso de sal e líquidos e sempre desgasta os pacientes visto que esse processo dura, em média quatro horas e tem de ser feito semanalmente.
Essa “greve branca”, também exibe a fragilidade da gestão do prefeito José Carlos Fernandes Chacon (PRB), o Zé Biruta, que, mais uma vez prefere o silêncio a se pronunciar sobre o seu governo que a população classifica como fraco. E não somente a sociedade, mas os vereadores também, que retornaram aos trabalhos legislativos nesta segunda-feira, dia 5 de agosto, às 18 horas.
Para a comunidade a falta de informações por parte da municipalidade gera dúvidas de como o governo está sendo conduzido pelo gestor público que, com essa tática evita que haja a transparência de seus atos que precisam ser mostrados à sociedade.