30 de agosto de 2019

Faltando quatro meses para terminar ano, ações são feitas?

Os governantes do Alto Tietê e São Paulo tiveram o ano todo para mostrar serviço em todas as áreas de atuação, no entanto, aqueles que permaneceram de braços cruzados, esperam nestes últimos quatro meses que faltam para terminar o ano, fazer tudo que deveria ser proposto para os cidadãos. Ledo engano! O povo, mais politizado e conhecedor dos seus direitos, cobra melhorias e governança, não apenas papo furado, mas ação imediata que mude a situação de calamidade em alguns municípios da região.
O prefeito José Carlos Fernandes Chacon (Republicanos), o Zé Biruta, pode se enquadrar nessa situação de inércia. Para a sociedade, a cidade está ao deus-dará com comando ineficiente e a cobrança ferrenha dos vereadores por serviços de qualidade tem sido a dura realidade deste povo sofrido em Ferraz de Vasconcelos. Durante este ano, o gestor público ignorou a maior parte das demandas apresentadas por este Impresso ao Poder Executivo. Apenas poucas indagações sobre o cuidado com a cidade foram atendidas, mostrando, desta forma, o pouco caso que a administração tem tido com a imprensa.
E também neste contexto, podemos citar a cidade de Suzano, em que Rodrigo Ashiuchi (PL), pegou uma bomba-relógio de dívidas, mas com trabalho e governo participativo mudou a história do município que hoje está honrando seus credores e investindo em obras estruturais que levam a melhoria da qualidade de vida para as pessoas de todas as classes sociais.
Outra cidade afundada em escândalos, é Santa Isabel, governada pela única mulher a ocupar o cargo de prefeita no Alto Tietê, Fábia Porto (Republicanos).