30 de agosto de 2019

Escolas “fudidas”, enquanto isso, prefeito esbanja cargos comissionados

Antes de mais nada, antes que alguém fique impressionado com a palavra “fudido”, ela nada mais é, segundo o Dicionário, do que alguém ou algo sem saída, ferrado, lascado, com problemas, em situação difícil.
É mais ou menos essa condição nas escolas da rede pública de Arujá, a grande maioria “fudida” por falta de reformas, estruturas comprometidas, falta de vagas, ausência de professores, ensino deficitário, problemas nos banheiros, portão caindo, pias sem torneiras e algumas delas vazando água. Esses são apenas alguns dos elementos que pesem contra o sistema de ensino e suas respectivas estruturas em Arujá.
Quando a população decidiu eleger José Luiz Monteiro (MDB), esperava-se que ele iria mudar o velho esquema político que predomina na cidade há anos. Muita gente acreditava que o “Zé” iria acabar com a oligarquia da Família Larini que manda e desmanda na cidade, mas pelo contrário, Zé foi apenas um cordeirinho nas mãos dele, além de um capacho, serviçal que presta serviço ao chefe mor.
Comissionados:
Enquanto a cidade cai aos pedaços, o prefeito “Zé” que poderia muito bem ser o “Buscapé”, de tão enrolado que é, faz de conta que nada viu ou ouviu. Ele se aproveita disso, e esfola os arujaenses com impostos, multas e fiscalização pesada a classe mais desfalecida, fato explicativo pelo vereador Renato Caroba (PT), na última sessão quando se referiu ao serviço de alguns fiscais que multam pobres e os grandes da cidade são isentos. O “Zé”, que não é o Buscapé, mantém os secretários adjuntos na prefeitura ganhando cada um R$ 12 mil. Absurdo! Também o mesmo “Zé”, eleito prefeito finge que não vê a farra dos 17 secretários, sendo que apenas uns quatro, mais ou menos, segundo relatou o vereador Sebastião Vieira de Lira (PSDC), o Paraíba Car trabalham, enquanto os outros passam o dia “coçando”, sem fazer, absolutamente nada e recebendo, nada mais ou nada menos que R$ 17.261,38. A farra dos cargos comissionados vão muito aquém dos valores, pois são fortes os Indícios de que exista nepotismo dentro da prefeitura, apenas uma questão de tempo para flagrar este crime.
Enquanto isso, “Zé” que já sabia dos desmandos na prefeitura continua sendo ele mesmo, ou seja, nada fez e nada faz pelo progresso da cidade, já a população a cada dia vai se tornando ainda mais refém da oligarquia que rege o coro a cada ano.