19 de junho de 2024 15:21

Ayrton Senna da Silva, o piloto que ainda inspira gerações

istória do tricampeão da Fórmula 1 inspira até quem não o viu correr Foto: Divulgação

Compartilhe este conteúdo...

Piloto de Fórmula 1, Ayrton Senna nasceu no dia 20 de março de 1960, na cidade de São Paulo, destacou-se de várias maneiras, especialmente dentro das pistas, com o seu jeito único de correr, sempre mostrando determinação e comprometimento.

Carregando o legado em ser dono das corridas históricas, e sempre bem elogiado fora das pistas, pela forma gentil e simpatia de tratar o próximo. Senna iniciou sua trajetória ainda muito novo, com apenas 4 anos de idade, apaixonado pelo esporte, aos treze anos de idade, Ayrton começou a competir oficialmente nas provas de kart, perdurando assim por oito anos.

Em 1984, começou a jornada de uma década na categoria mais disputada, que culminou com o período mais vitorioso de sua carreira junto à equipe McLaren. A trajetória de Ayrton Senna foi de garra, persistência, superação, vitórias e humanidade acima de tudo.

Infelizmente, no dia 1º de maio de 1994, sua carreira e vida foi tragicamente interrompida, após um acidente fatal no Grande Prêmio de San Marino de Fórmula 1. Autódromo Internacional Enzo e Dino Ferrari, em Ímola (Itália). Na sétima volta, precisamente às 9h13, pelo horário de Brasília, Ayrton Senna perde o controle da Williams que pilotava e bate violentamente no muro da curva Tamburello. O choque é fatal. O corpo do brasileiro é levado de helicóptero para o Hospital Maggiore, em Bolonha, onde o piloto teve a morte anunciada, aos 34 anos.

Um final de semana que jamais seria esquecido!

Na Fórmula 1, os treinos livres acontecem na sexta-feira, o classificatório no sábado e a corrida no domingo. Na sexta-feira, o piloto brasileiro Rubens Barrichello, que na época estava começando a carreira, sofreu um grave acidente e teve que ser hospitalizado com uma fratura no nariz e algumas escoriações. No sábado, o austríaco Roland Ratzenberger também sofreu um forte acidente, mas não teve a mesma sorte de Barrichello. Ratzenberger morreu na hora, aos 33 anos.

O acidente de Barrichello e a morte de Ratzenberger deixaram os demais pilotos apreensivos. Ayrton Senna se reuniu com alguns pilotos para exigir mais segurança para a corrida e, inclusive, cogitou a possibilidade de não participar da etapa. No entanto, pilotos e diretores chegaram a um acordo para a corrida acontecer.

Senna sabia que precisava vencer a corrida para não deixar Schumacher escapar no campeonato. Ele voltou para o carro, fez a volta mais rápida do treino classificatório e largou novamente na primeira posição.

Ayrton Senna liderava a corrida, com Schumacher logo atrás. Na sexta volta, uma quebra na barra de direção fez Senna perder o controle do carro quando passava pela curva Tamburello e chocou-se com uma mureta de proteção a quase 300 km/h. Com a batida, uma das rodas atingiu o capacete do piloto, afundando parte do seu crânio.

O acidente de Senna é um dos episódios mais tristes da história do esporte, mas sua morte foi responsável por uma revolução na segurança da Fórmula 1. Os carros ficaram muito mais seguros, e nenhum acidente fatal aconteceu por quase 20 anos.

Ayrton Senna ganhou diversas homenagens ao redor do mundo. No circuito de Ímola, local do terrível acidente, há uma estátua em sua homenagem. Há também uma escultura do piloto no circuito de Donington Park, onde Senna fez a melhor primeira volta de todos os tempos.

São 30 anos do trágico acidente, são 30 anos sem Senna, um legado que uma nação jamais poderá esquecer!

Compartilhe este conteúdo...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

categorias

ÚLTIMAS NOTÍCIAS